ERP para a Indústria: O que é, como funciona e quais são as vantagens

ERP para a Indústria: O que é, como funciona e quais são as vantagens

Um sistema ERP para a indústria é um aliado indispensável para automatizar processos, reduzir custos e melhorar a produtividade.

Veja neste artigo tudo o que você precisa saber sobre estes sistemas cada vez mais procurados pelas empresas.

A indústria é um dos principais motores da economia brasileira.

Segundo dados do IBGE e do Ministério da Economia, em 2019, o setor industrial correspondeu a 21,4% do PIB do país.

Um país com as dimensões do Brasil, para ser sustentável precisa de uma atividade industrial forte e competitiva. A indústria é um dos principais pólos geradores de tecnologia, pesquisa, desenvolvimento e inovação (PD&I) e possui um papel muito importante para o desenvolvimento de todos os demais setores brasileiros.

Vejam 7 exemplos de como a indústria contribui para o desenvolvimento da economia nos mais variados setores:

  • Criação e uso de biotecnologia e nanotecnologia;
  • Mecanização e automação do agronegócio;
  • Fabricação de equipamentos de comunicação;
  • Desenvolvimento e produção de computadores, armazenamento de informações em nuvem e operações financeiras online;
  • Produção de caminhões, automóveis e máquinas para uso em vários setores;
  • Modernização e automatização de processos no setor cerâmico e produção de cimento;
  • Desenvolvimento e fabricação de equipamentos tecnológicos para a área médica, o que possibilitou um grande avanço nesta área nos últimos anos.

Mesmo sendo um setor altamente competitivo e dinâmico, a indústria é fortemente impactada pela transformação digital e indústria 4.0, e estas mudanças vão exigir mais modernização e eficiência destas empresas.

As empresas do setor industrial precisarão se tornar mais eficientes e competitivas. Isso requer processos automatizados, maior controle e segurança das informações geradas, e muita agilidade na visualização dos resultados.

Além da competitividade, hoje temos clientes mais ansiosos, que exigem rapidez e entregas cada vez mais rápidas.

É por isso que os sistemas de gestão para as indústrias, ou ERP’s para a indústria são tão exigidos e procurados atualmente por empresas de pequeno, médio e grande porte.

O ERP para a indústria integra todas as áreas do negócio em uma única ferramenta (recursos, operações, emissão de relatórios, indicadores de gestão, vendas, finanças, custos e resultados) e capacita as empresas a funcionar sem problemas mantendo um único banco de dados.

Quer entender melhor sobre o funcionamento destes sistemas, como implantar e conseguir bons resultados? Continue com a gente que vamos explicar melhor.

O que é um ERP industrial?

O nome ERP significa Enterprise Resource Planning, ou “Planejamento de Recursos Empresariais”.

São softwares que integram todas as áreas de uma indústria em um único sistema.

Analisando os recursos, parecem sistemas de gestão recentes, mas não são.

Surgiram primeiramente como sistemas para planejamento dos recursos de manufatura (Material Requirement Planning – MRP) no início dos anos 70.

Durante a década de 80, agregaram pacotes ou módulos para controle das demais áreas, finanças, compras, vendas, estoques e outros setores. O MRP transformou-se em MRP-II (Manufacturing Requirement Planning) e passou a controlar outras atividades, como mão de obra e máquinas.

Mas foi na década de 90 que o nome ERP passou a ser utilizado com mais força para estes sistemas de gestão. Nesta época, as empresas passaram a dar grande importância a estes softwares para a gestão dos negócios.

Na prática, são vistos nas empresas como pacotes de softwares para controle da produção, controle de qualidade, estoques, compras, vendas, finanças e contabilidade.

Dentro deles, é possível acompanhar, rastrear e auditar todo o fluxo de informações gerados na empresa.

Mesmo permitindo a análise completa das informações, a segurança é fundamental. Devem ter um controle rigoroso dos acessos, para garantir que somente as pessoas autorizadas tenham acesso às informações do negócio.

Para a indústria, o ERP assume um papel ainda mais importante, que é a gestão de todos os recursos de fábrica.

Especificamente para a indústria, além de todas as áreas administrativas do negócio, um ERP precisa gerenciar:

  • Engenharia de produtos ou lista BOM (Bill of Materials);
  • Planejamento dos materiais (MRPMaterial Requirement Planning);
  • Controle da produção;
  • Custos das matérias-primas e componentes;
  • Custos dos produtos fabricados;
  • Controle de produção em terceiros;
  • Rastreabilidade dos materiais e informações da fábrica;
  • Apontamentos de produção e eficiência dos processos produtivos;
  • Formação de preços dos produtos fabricados;
  • Margem de lucro dos produtos fabricados e vendidos.

Com estes sistemas, a empresa tem informações para gerenciar os cronogramas de entregas, atrasos, prevenção de retrabalhos, desperdícios de materiais, custos e eficiência da fábrica.

Como o ERP funciona

Todas as informações geradas na administração de um negócio devem ser incluídas nos sistemas ERP.

Todas as operações administrativas devem ser atualizadas dentro do sistema, para que as informações fiquem disponíveis em tempo real.

Algumas das operações que devem ser realizadas dentro do sistema, em tempo real:

  • Planejamento das compras;
  • Recebimentos dos materiais em estoques;
  • Inventário dos produtos;
  • Carteira de pedidos de venda;
  • Separação de produtos pela área de expedição;
  • Notas fiscais faturadas;
  • Boletos emitidos aos clientes;
  • Liquidação de todos os boletos pagos pelos clientes;
  • Pagamentos aos fornecedores;
  • Conciliação bancária;
  • Fluxo de caixa;
  • Inventários dos estoques;
  • Apontamento da fabricação de produtos;
  • Materiais consumidos na produção;
  • Apontamento dos tempos de produção;
  • Planejamento dos materiais da fábrica.

Com todas as informações consolidadas em um único sistema, os responsáveis pela gestão têm acesso a relatórios e indicadores que ajudam a analisar as informações em tempo real e de forma rápida.

Além das informações processadas pelos sistemas ERP, a indústria pode conectar um software de BI (Business Intelligence) para gerar indicadores personalizados para cada área, e com a inteligência da empresa modelada no software.

Instalação local (on-premise) ou em nuvem (SaaS)

Podem ser instalados na infraestrutura de TI da empresa ou podem ser usados como serviços, hospedados em nuvem. Quando em nuvem, não há a necessidade de manter servidores dedicados para a operação do sistema.

Geralmente, quando instalado localmente, a equipe local de tecnologia da informação é responsável pela segurança da informação, manutenção dos servidores, backups dos bancos de dados e atualizações dos pacotes de sistema.

Ao usar o ERP em nuvem, a atualização, segurança, manutenção de servidores e backups são feitos pela empresa desenvolvedora dos sistemas. Desta forma, a responsabilidade por manter os sistemas online é da empresa fornecedora da solução em nuvem.

Quais são as vantagens

Agora que você já sabe o que é um ERP e como ele funciona, veja algumas das principais vantagens do ERP:

  • Redução de custos operacionais;
  • Mais eficiência e produtividade;
  • Padronização e integração dos processos;
  • Melhora no atendimento aos clientes;
  • Maior controle dos prazos;
  • Visão completa e relatórios precisos;
  • Redução de fraudes;
  • Redução de falhas humanas;
  • Maior segurança das informações do negócio;
  • Aumento da lucratividade;
  • Atualização de dados em tempo real;
  • Coleta de dados automática;
  • Confiabilidade das informações;
  • Redução dos estoques.
  • Maior controle sobre o ciclo de produção.

Quais são as desvantagens

Com a competitividade da indústria, concorrência com empresas globais e a exigência de mais produtividade e em menos tempo, exigida pelo mercado, podemos dizer que a maior desvantagem atualmente é não usar um ERP na indústria.

Mesmo com algumas desvantagens, os benefícios para os negócios são muito superiores.

Vejam algumas desvantagens:

  • Necessidade de treinamento dos colaboradores;
  • Implementação complexa;
  • Se a empresa não contratar o ERP em nuvem, pode exigir investimento em hardware, se a estrutura atual precisar de modernização;
  • Burocratização de processos, se a implementação não for bem executada;

Como selecionar um ERP

Então, você concluiu que é hora de selecionar ou substituir o sistema atual na sua indústria?

Sem problemas, veja dicas valiosas para acertar na escolha de um ERP industrial:

  • Conheça todos os processos de sua indústria;
  • Se houver necessidades de revisão e organização de processos, faça antes de selecionar o sistema;
  • Separe as necessidades indispensáveis para o funcionamento do negócio;
  • Liste as necessidades desejadas e as que são dispensáveis;
  • Monte uma equipe para a escolha do sistema, com membros das áreas que farão uso do sistema;
  • Busque fornecedores de sistemas que são focados em seu segmento;
  • Procure fornecedores com experiência, esta é uma área complexa;
  • Solicite apresentações iniciais dos sistemas, elimine do processo os fornecedores que não atendem às necessidades indispensáveis;
  • Pesquise sobre o atendimento dos fornecedores, com os clientes atuais;
  • Solicite novas apresentações e simulações mais detalhadas para os fornecedores finalistas;
  • Questione sobre a política de cancelamento da empresa. Como ficam os dados? O sistema fica ativo por quanto tempo após o cancelamento?
  • Questione sobre a política de reajustes contratuais;
  • Questione se as atualizações são incluídas em contrato, ou se são cobradas separadamente;
  • As atualizações de legislação fiscal são incluídas no contrato?
  • Existe possibilidade de customização do sistema?
  • Se houver customização, elas são perdidas quando o sistema é atualizado?
  • Em caso de necessidade de customização, solicite todas as especificações por escrito, de forma detalhada junto com a proposta comercial e técnica;
  • Como é o processo de implantação do fornecedor? A empresa possui consultores dedicados, com experiência?
  • Não contrate o sistema sem antes eliminar todas as dúvidas da equipe de seleção;

Como implementar um ERP

Após selecionar o fornecedor e contratar o ERP, a implantação é o processo mais importante.

Para uma implantação bem sucedida, veja algumas recomendações importantes:

  • Peça que o fornecedor estime o tempo adequado para a implantação do ERP;
  • Exija um cronograma de projetos do seu fornecedor de ERP;
  • Não tente reduzir custos do projeto cortando prazos de implantação, o resultado será ruim e poderá custar mais caro para refazer o trabalho;
  • Crie uma equipe interna de implantação;
  • Mesmo com os manuais do ERP, crie uma documentação interna, com os processos em funcionamento dentro do sistema;
  • Faça reuniões de acompanhamento do projeto;
  • Ao final, faça uma homologação, revise o cronograma e veja se as necessidades foram atendidas.

É esta etapa do projeto que irá garantir que seu negócio consiga os benefícios com o uso do sistema.

Como manter o ERP funcionando

Com o ERP industrial em operação, após algum tempo de uso será possível analisar os resultados, relatórios e obter os benefícios que listamos neste artigo.

Para garantir que os resultados se mantenham a longo prazo, é necessário que sejam tomados alguns cuidados para manter a operação que foi definida na fase de implantação.

Faça auditorias periódicas para verificar se a operação do ERP continua de acordo com as definições iniciais.

Veja algumas dicas de como fazer esta revisão:

  • Conferir se todas as operações são feitas no sistema;
  • Verificar se os gestores estão obtendo resultados;
  • Atenção às planilhas paralelas que surgem sem necessidade.

A sua indústria precisa de um ERP?

Neste artigo colocamos muitas informações sobre os sistemas ERP industriais, seus benefícios e qualidades para lidar com uma área tão complexa, competitiva e dinâmica.

Falamos sobre vários assuntos:

  • O que é um ERP Industrial?
  • Como o ERP funciona;
  • Quais são as vantagens;
  • Quais são as desvantagens;
  • Como selecionar um ERP;
  • Como implementar um ERP;
  • Como manter o ERP funcionando;

Sabemos que ainda podem existir várias dúvidas se realmente vale a pena investir em um ERP industrial.

Olhe para a sua empresa e tente responder às perguntas:

  • O meu negócio consegue atender com eficiência as demandas do mercado?
  • Estamos preparados para as próximas transformações digitais que já estão em andamento?

Sabemos que as indústrias precisam de um sistema ERP, mas se as respostas acima forem afirmativas, este é mais um indicador desta necessidade.

Quer conhecer mais sobre um sistema ERP industrial que possui as características e benefícios que escrevemos neste artigo?

Entre em contato com nossos especialistas, estamos à disposição para uma apresentação!

Obrigado pela leitura e até o próximo post!